sábado, 27 de maio de 2023

Pré-treino natural: alimentos que funcionam como termogênicos


Termogênicos

 

Os mecanismos de ação dos  termogênicos é pela atuação no Sistema Nervoso Central, estimulando o estado de alerta e concentração, retardando a fadiga muscular e aumentando a disposição para os exercícios físicos, ou atuando junto desacoplamento da mitocôndria, potencializando a quebra das gorduras durante o exercício.

O consumo de alimentos que contém substâncias que agem como termogênicos naturais no corpo. Eles estimulam e aceleram o nosso metabolismo e podem auxiliar na melhora do desempenho nos exercícios. “Inclusive, muitos desses alimentos estão presentes artificialmente nos suplementos vendidos como pré-treinos”.

 

Alimentos que funcionam como pré-treino natural

 

Café – tem efeito estimulante e dá mais concentração para a execução do exercício. Também acelera o metabolismo, facilitando a queima de gordura.

Gengibre – tem efeitos analgésico e anti-inflamatório, o que reduz a fadiga muscular.

Chá verde – possui substâncias que melhoram a queima de gordura e acelera o metabolismo. O chá verde ainda tem antioxidantes como flavonoides, taninos e alcaloides que previnem o excesso de radicais livres e estimulam energia por tempo prolongado.

Pimenta – contém vários compostos bioativos, dentre eles a capsaicina, responsável pelo aumento da produção de calor e acelera o metabolismo.

Canela – além de acelerar o metabolismo, tem propriedades antioxidantes e contribui para melhorar a digestão.

Pó de guaraná – estimula a liberação de adrenalina e dopamina, que promovem sensação de bem-estar e disposição para treinar. Também é rico em cafeína, substância de efeito estimulante para o desempenho.

Referências

1.Lopes MDM, Capela JP. Estudo comparativo da composição dos suplementos alimentares termogênicos contendo cafeína disponíveis em portugal. Acta Port Nutr [Internet]. 2017 [acesso 20 out 2020]; (10):24-36. Disponível em: http://www. scielo.mec.pt/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2183-5985201700030 0005&lng=pt.http://dx.doi.org/10.21011/apn.2017.1005.

Escrito pela estagiária de nutrição Elis de oliveira silva


quarta-feira, 24 de maio de 2023

Motivações para praticar atividade fisica

 

 Passos importantes para garantir qualidade na alimentação do praticante de exercícios físicos

  1. Adapte a quantidade de alimentos às calorias extras exigidas pelos exercícios. Quanto mais intensos ou longos os exercícios, maior a necessidade calórica. Considere seu peso alvo e composição corporal para fazer esse ajuste..
  2. Mantenha diariamente uma alimentação variada e equilibrada, com a inclusão de alimentos que contenham substâncias “antioxidantes”, capazes de proteger o seu corpo da ação dos radicais livres. Para tal, inclua: frutas (laranja, frutas vermelhas), hortaliças (brócolis, cenoura, espinafre, cebola), nozes e azeite de oliva.
  3. Fracione bastante a sua alimentação, fazendo pequenos lanches entre as refeições principais.
  4. Nunca inicie um treino em jejum ou com intervalo superior a 4 horas da última refeição.
  5. Não inicie os treinos com “estômago muito cheio”, você poderá sentir-se mal e/ou isso pode comprometer a prática dos exercícios. Escolha alimentos de fácil digestão para você e evite os mais gordurosos.
  6. Escolha alimentos fonte de carboidratos para a alimentação pré-treino. Alguns exemplos são: frutas, suco de frutas, frutas secas, pães, barra de cereais, macarrão, arroz e batata.
  7. Deixe para consumir os alimentos ricos em proteínas, como carnes, ovos, leite, iogurtes, entre outros, após os exercícios. Mas os alimentos fonte de carboidratos também devem estar presentes nesta refeição.
  8. Hidrate-se antes, durante e após os exercícios. Alguns líquidos podem ser usados, entre eles, água, água de coco, sucos de frutas, chás e bebidas esportivas.
  9. Não utilize suplementos alimentares sem a orientação de um profissional nutricionista, pois para a prescrição será necessário analisar sua dieta habitual, suas necessidades nutricionais, tipos de treinamentos, entre outros.
  10. Um profissional nutricionista poderá auxiliá-lo com orientações adaptadas aos seus hábitos, necessidades e modalidade esportiva.

Referência: https://www.einstein.br/noticias/noticia/dieta-para-pratica-exercicios-fisicos

Escrito por estagiárias: Livia Furtado e Juliana Correia.

Batata doce - Forma de preparo e Índice Glicêmico

     



     Tanto a batata doce quanto a batata inglesa são ótimos alimentos na dieta, mas a batata doce é a               preferida pelos atletas e praticantes de musculação, pela sua maior quantidade de fibras e seu indice         glicemico mais baixo quando comparado a batata inglesa.

O IG (índice glicêmico) mensura a velocidade com que o alimento se converte em glicose. Ou seja, cada alimento apresenta um IG e portanto diferentes impactos na glicemia (açúcar no sangue).

Os carboidratos de baixo IG, como é o caso da batata doce, evitam o pico de insulina e consequentemente a hipoglicemia de rebote (diminuição rápida da glicemia após os primeiros 15 minutos de exercício), que pode levar a queda de rendimento até mal-estar e desmaios e o consumo exagerado de alimentos com alto indice glicemico levando a picos constantes de insulina levam ao aumento do tecido adiposo.

Por isso, esses tipos de carboidratos são sempre a primeira escolha dos atletas e praticantes de atividade física, e está sempre incluso em suas dietas.

Mas você sabia que o modo de preparo desses alimentos pode influenciar, alterar o indice glicemico desses.

baixo índice glicêmico desse carboidrato é em parte devido ao seu elevado teor de amido resistente, e quando ela é assada pode apresentar um IG maior do que a batata inglesa cozida.

Isso porque, no forno, o calor desidrata a batata-doce e ocorre a quebra do amido, permitindo com que a amilose e amilopectina se tornem mais prontamente digeríveis pelas enzimas, aumentando o IG, ou seja, a velocidade da liberação de glicose.

No cozimento, isso não ocorre com tanta magnitude, graças a presença da água, e por isso na hora de fazer a sua marmita é melhor investir na batata-doce cozida.

Para você entender melhor, da uma olhada nesses números comparando o índice glicêmico entre os dois tipos de batata:

  • Batata inglesa cozida = 82
  • Batata-doce cozida = 46

 

  • Batata inglesa assada = 111
  • Batata-doce assada = 94


Olhando esses números fica fácil perceber a diferença gritante de baixo índice glicêmico entre a batata-doce e batata inglesa quando cozidas, e o quanto isso muda quando ela é assada.


REFERÊNCIAS:

  • “The Essentials of sport and exercise nutrition”, John Berardi (Author),‎ Ryan Andrews (Author),‎ Brian St. Pierre (Author).
  •  Relationship between Processing Method and the Glycemic Indices of Ten Sweet Potato (Ipomoea batatas) Cultivars, 2011, Perceval Bahado-Singh, Cliff Riley, Andrew Wheatley 
  • The Open Nutrition Journal, 2012, Jonathan C. Allen, Alexis D. Corbitt, Katherine P. Maloney, Masood S. Butt, Van-Den Truong

 Escrito pelo estagiário Erick Henare



terça-feira, 23 de maio de 2023

CONHEÇA OS ALIMENTOS QUE MAIS CAUSAM ALERGIA ALIMENTAR!

 


                Com o aumento da conscientização sobre alergias alimentares e intolerâncias, é importante que as empresas e a indústria de alimentos se adaptem para atender às demandas dos diferentes públicos. A manipulação de alimentos alergênicos requer cuidados especiais, pois as reações alérgicas podem ter consequências graves para os indivíduos afetados.

                  Para se preparar para esse nicho de mercado e atender a todos os tipos de consumidores, é essencial entender as reações alérgicas, como elas se manifestam e os possíveis efeitos para a saúde. As empresas devem investir em treinamento e capacitação da equipe, garantindo a correta manipulação e rotulagem dos alimentos alergênicos.

Além disso, é importante estar atualizado sobre as regulamentações e normas de segurança alimentar relacionadas às alergias, garantindo a conformidade com as legislações vigentes. Isso envolve a identificação e declaração correta dos alérgenos presentes nos produtos, bem como a implementação de práticas de higiene e controle de qualidade.

       A comunicação clara e transparente com os consumidores também é fundamental. As empresas devem fornecer informações precisas sobre os ingredientes utilizados, destacando a presença de alérgenos e oferecendo alternativas para pessoas com restrições alimentares.

          Ao se preparar adequadamente para atender às necessidades dos consumidores com alergias alimentares e intolerâncias, as empresas podem se destacar no mercado, ganhar a confiança dos clientes e promover uma alimentação mais segura e inclusiva.


O que é alergia alimentar  ?

As alergias alimentares podem ser desencadeadas por diversos alimentos, e cada indivíduo pode ter sensibilidade diferente a determinados ingredientes. No entanto, alguns alimentos são mais comumente associados a reações alérgicas. Os principais alimentos que podem causar alergias alimentares são:

                                                                                 

Leite de vaca: a alergia ao leite é uma das mais comuns em crianças, mas também pode afetar adultos. A proteína do leite de vaca pode desencadear reações alérgicas.

 

Ovos: as alergias a ovos são frequentes em crianças, principalmente à clara do ovo. No entanto, algumas pessoas podem ter alergia à gema ou a ambos.

 

Amendoim: o amendoim é um alimento alergênico bastante comum e pode causar reações graves, incluindo anafilaxia.

 

Frutos do mar: camarão, lagosta, caranguejo e outros frutos do mar podem causar alergias em algumas pessoas.

 

Peixes: alergias a peixes, como salmão, atum e bacalhau, também são relativamente comuns.

 

Soja: a alergia à soja pode ocorrer em pessoas de diferentes faixas etárias. É importante observar a presença de soja em alimentos processados.

 

Trigo: a alergia ao trigo pode ser uma reação ao glúten ou a outras proteínas presentes no grão.

 

Frutas cítricas: embora menos comum, algumas pessoas podem apresentar alergia a frutas cítricas como laranja, limão e tangerina.

 

Nozes: amêndoas, castanhas, pistaches e outras nozes podem causar alergias graves.


Sementes de gergelim: algumas pessoas podem ser alérgicas às sementes de gergelim e produtos que as contenham.

       É importante ressaltar que cada pessoa é única e pode ter diferentes sensibilidades e alergias. Caso você suspeite de alguma alergia alimentar, é fundamental consultar um médico ou um especialista em alergias para realizar exames e obter um diagnóstico preciso.

 

 Como deve ser a rotulagem de alimentos alergênicos?

          A rotulagem de alimentos alergênicos deve seguir as normas da Anvisa e incluir todas as informações relevantes sobre os ingredientes usados na fabricação do produto. A lista de ingredientes deve ser ordenada de forma decrescente em relação às quantidades utilizadas.

         A legislação brasileira também exige a declaração específica dos principais alimentos que causam alergias alimentares, em caixa alta, negrito, cor contrastante com o fundo do rótulo e altura mínima de 2 mm. Essa declaração deve estar imediatamente após ou abaixo da lista de ingredientes. Nos casos em que não é possível garantir a ausência de contaminação cruzada por alérgenos alimentares, deve ser incluída a declaração "Alérgicos: Pode conter (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares)".

            É importante que as empresas estejam atentas aos ingredientes alergênicos, manipulem os alimentos de forma correta e sigam as normas de rotulagem para atender a diversos públicos de maneira adequada e cuidadosa.



referencia:https://www.rgnutri.com.br/2019/02/19/confira-quais-sao-os-alimentos-que-mais-causam-alergia-alimentar/

escrito pelas estagiarias: Juliana Freitas e Livia Furtado

Citrulina Malato




  A L-Citrulina é um aminoácido presente no organismo que atua como precursor endógeno da L-arginina, substrato para a enzima óxido nítrico-sintase que sintetiza o NO. A suplementação de L-citrulina mostra-se benéfica de acordo com estudos, incluindo sua influência na performance em exercícios de alta intensidade mediante a regulação positiva dessa síntese.

Diversos estudos vêm relatando a influência do óxido nítrico (NO) na melhora do desempenho esportivo. E isso ocorre por conta de sua atuação como modulador do fluxo sanguíneo, do metabolismo energético muscular e da respiração mitocondrial durante o exercício.

Atualmente encontra-se a citrulina em sua versão malato, um intermediário do ciclo de Krebs, envolvido na produção de energia através do metabolismo oxidativo. Demonstrou-se que a ingestão de citrulina-malato resulta em melhoria do desempenho em exercício aeróbico ao atenuar a fadiga e incrementar a produção aeróbica. O mecanismo de ação da citrulina-malato sobre o desempenho esportivo parece envolver aumentos dos níveis de ATP, redução significativa a sensação de fadiga, e a taxa de recuperação de fosfocreatina após o exercício.

A L-Citrulina Malato  é indicada para o aumento do desempenho anaeróbio e aeróbico, melhorando o estado físico e muscular. É útil também para o desenvolvimento de massa muscular, redução da fadiga e aumento da produção de energia. A combinação de malato e citrulina tem mecanismos que ajudam a aumentar a resistência física, além de ser um composto útil para o de massa muscular e força. Ele também acelera a recuperação de esforços intensos e reduz a dor muscular após o exercício.

Além de sua forma em suplemento, a citrulina também pode ser encontrada na melancia. Um recente estudo realizado na Espanha demonstrou que a suplementação com suco de melancia enriquecido com L-citrulina (3,3 g/200 ml) e elagitaninas de romã (22 mg/200 ml) teve efeito benéfico na performance de 19 homens jovens durante o exercício. O suco de melancia naturalmente contém L-citrulina (0,5 g/200 ml). 


REFERÊNCIAS

SUZUKI, T. et al. Oral L-citrulline supplementation enhances cycling time trial performance in healthy trained men: Double-blind randomized placebo-controlled 2-way crossover study. Journal of the International Society of Sports Nutrition., v. 13, n. 6, 2016.

CALLIS, A.; MAGNAN DE BORNIER, B.; SERRANO, J.J.; BELLET, H.; SAUMADE, R. Activity of citrulline malate on acid-base balance and blood ammonia and amino acid levels. Study in the animal and in man. Arzneimittelforschung v.41, n.6, p.660–663, 1991. 

Escrito pelos estagiários: Erick Henare e Elis de Oliveira 

quarta-feira, 17 de maio de 2023

Uso de Adoçante para emagrecimento

 


Foi publicado recentemente na Organização Mundial de Saúde sobre o uso de adoçantes e foi recomendado a não utilizar esse tipo de produto para controle de peso ou como estratégia para reduzir o risco de doenças não transmissíveis. São eles aspartame, Sacarina, Sucralose, Stevia e derivados.

A recomendação é baseada em resultados de uma revisão sistemática de evidencias disponíveis que sugerem que o uso de adoçantes não existe nenhum beneficio a longo prazo no emagrecimento corporal, seja em adultos ou crianças.

Segundo a OMS, os resultados de revisão, também sugerem que pode haver efeitos potenciais indesejáveis provenientes do uso prolongado de adoçantes, como diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e mortalidade em adultos.

O ato de da substituição do açúcar por adoçante não ajuda no controle de peso a longo prazo,  a OMS pede para que considerem outras formas de reduzir a ingestão de açúcar, como consumir frutas e outros alimentos naturalmente adoçados, além de alimentos e bebidas sem nenhum tipo de açúcar.

Essa recomendação não está aplicada para indivíduos com diabetes pré existentes, e inclui todos os adoçantes sintéticos, naturais ou modificados que não são classificados como açucares encontrados em alimentos e bebidas industrializados ou vendidos separadamente em alimentos e bebidas.


Referência: https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2023-05/oms-desaconselha-uso-de-adocantes-para-controle-de-peso#:~:text=A%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Mundial%20da%20Sa%C3%BAde,risco%20de%20doen%C3%A7as%20n%C3%A3o%20transmiss%C3%ADveis.

Escrito por estagiárias: Livia Furtado e Juliana Correia

Benéficos do magnésio na musculação


O magnésio é um mineral importante em várias reações celulares, participando de quase todas as ações anabólicas e catabólicas. Cerca de 300 sistemas enzimáticos são dependentes da presença de magnésio.Algumas destas atividades incluem a glicólise e o metabolismo proteico e lipídico. O magnésio é importante tanto na geração de energia aeróbica quando anaeróbica, indiretamente,como complexo Mg-ATP, ou diretamente, como um cofator enzimático.

Privar seu corpo de magnésio é o mesmo que jogar uma chave inglesa nas engrenagens que fazem as reações enzimáticas do seu organismo acontecerem. Isso geralmente se manifesta em forma de falta de energia durante os treinos, acúmulo indevido de ácido lático(mais dores), câimbras, dificuldade de perder gordura e ganhar massa muscular, má recuperação e até mesmo, em casos mais graves, arritmia cardíaca. 

Ingerir quantidades adequadas desse mineral também é importante por outras razões . Por exemplo, alguns estudos mostram que a testosterona tem uma afinidade maior á globulina do magnésio em vez da globulina SHBG.

A Recomendação Dietética (Recommended Dietary Allowances - RDA) para o magnésio é de 400 a 420 e 310 a 320mg diários para homens e mulheres adultas, respectivamente. Todavia, grande número de pessoas em países industrializados consome menos do que o recomendado, havendo grande prevalência de deficiência dietética marginal de magnésio, fato que vem sendo associado a diversas doenças crônicas.

  


https://www.scielo.br/j/rn/a/kxKcfZbzLvQ9rcK6VgDG34S#:~:text=Especialmente%20com%20o%20treinamento%20f%C3%ADsico,assim%20o%20surgimento%20de%20les%C3%B5es.

Escrito pelos estagiário Elis de oliveira e Erick Henare 

terça-feira, 16 de maio de 2023

AMBIENTE OBESOGÊNICO




O que é o meio obesogênico ?


O meio obesogênico é um termo utilizado para descrever um ambiente que favorece o desenvolvimento e a manutenção da obesidade. É um conjunto de fatores ambientais, sociais, culturais e econômicos que contribuem para a promoção de comportamentos menos saudáveis, como uma alimentação inadequada e a falta de atividade física regular.

No meio obesogênico, existem diversas influências que podem levar ao ganho de peso excessivo e ao desenvolvimento da obesidade. Essas influências incluem a disponibilidade e a publicidade de alimentos ultraprocessados, ricos em gorduras, açúcares e aditivos químicos, além da falta de acesso a alimentos saudáveis e frescos.

Além da alimentação, o meio obesogênico também se relaciona com a falta de espaços e oportunidades para a prática de atividade física, seja pela falta de estrutura adequada, a insegurança nas ruas ou a falta de tempo disponível.

Outros fatores do meio obesogênico incluem o aumento do sedentarismo causado pela tecnologia e o marketing agressivo de alimentos pouco saudáveis, especialmente direcionado às crianças.

É importante ressaltar que o meio obesogênico não isenta a responsabilidade individual, mas reconhece que o ambiente em que as pessoas vivem desempenha um papel significativo no desenvolvimento da obesidade.

Combater o meio obesogênico requer ações em diferentes níveis, desde políticas públicas que promovam o acesso a alimentos saudáveis e a criação de espaços para atividade física, até a conscientização individual sobre escolhas alimentares e a promoção de um estilo de vida ativo.

Ao entender o conceito de meio obesogênico, podemos buscar maneiras de modificá-lo, promovendo um ambiente mais saudável e estimulante para a adoção de hábitos de vida equilibrados e prevenindo o desenvolvimento da obesidade.




referencia : https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-brasil/eu-quero-ter-peso-saudavel/noticias/2022/ambiente-obesogenico-voce-sabe-o-que-e

escrito pelas estágiarias: Livia Furtado e Juliana Correia


Bebidas energéticas

 




As bebidas energéticas são estimulantes que aumentam o estado de alerta para a mente e para o corpo.

 

Bebidas energéticas, geralmente, possuem em sua composição, além de carboidratos:

 

- Taurina: é um aminoácido que participa de funções fisiológicas importantes, como a excreção rápida de produtos tóxicos no organismo, também age como transmissor metabólico e fortalece as contrações cardíacas.

- Glucoronolactona: é um carboidrato que possui função desintoxicante e auxilia na metabolização de substâncias.

- Cafeína: acelera a cognição, diminuindo a fadiga e aumentando o estado de vigília.

- Inositol: esse isômero da glicose previne o acúmulo de gordura no fígado e melhora a comunicação cerebral, a memória e a inteligência.

- Vitaminas: as principais encontradas nos energéticos são a niacina, B6, B12, riboflavina e ácido pantotênico. As vitaminas do complexo B, como a niacina, o ácido pantotênico, a vitamina B6 e a vitamina B12, são comumente adicionadas às bebidas energéticas. Contribuem para o metabolismo de produção normal de energia e para a redução do cansaço e da fadiga. Além disso, o ácido pantotênico contribui com o desempenho mental.

 Seu consumo deve ser moderado, pois em excesso pode causar alguns efeitos colaterais como: Insônia; Irritabilidade; Aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial; Doenças cardíacas.

O uso combinado de álcool provavelmente potencializa os efeitos prejudiciais cardiovasculares. Na ausência de evidências científicas que garantam a segurança da combinação de energético com álcool, é mais prudente evitá-la


https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/32876

Escrito pelo estagiário: Erick Henare


segunda-feira, 15 de maio de 2023

Leucina no desenvolvimento muscular

                       


           


       


Leucina no desenvolvimento muscular

 

O que é a Leucina

Leucina é um aminoácido que faz parte da cadeia ramificada (BCAA), do qual também faz parte a valina e a isoleucina. Trata-se de um aminoácido essencial para síntese proteica e para outras funções metabólicas.

 

Para que serve a leucina?

 A leucina tem uma série de funcionalidades, sendo importante, por exemplo, para a manutenção da massa muscular, diminuição dos níveis de açúcar no sangue, aumento das defesas do organismo, auxílio na cicatrização de ossos fraturados, etc. Para que se tenha uma ideia melhor da importância da leucina: antes e depois de qualquer tipo de cirurgia é recomendado a ingestão de alimentos com alta quantidade de leucina, para que assim a recuperação e cicatrização seja ainda melhor.

A leucina afeta diretamente o desenvolvimento muscular, pois sinaliza processos responsáveis pela síntese de proteína do nosso músculo. Sendo assim, é essencial para desenvolver a massa muscular e o faz de maneira muito mais eficiente que os demais aminoácidos.

Esse aminoácido essencial também possui contribuição na produção de insulina e serve como fonte de energia para produção de glicose. Portanto, a leucina não só estimula ao ganho de massa muscular, mas também atua como fonte de energia para os músculos. O que se pode dizer, então, é que a leucina é uma estratégia eficaz no desenvolvimento de massa muscular, lembrando sempre da importância da recomendação médica.

 A leucina apresenta um importante papel na síntese muscular principalmente após exercícios de força de alta intensidade, uma vez que o balanço proteico se torna positivo. O grande destaque da leucina é a sua competência em ativar a principal via anabólica, a via mTOR, no que, ao receber da leucina pode ser um estimulador sensível às suas concentrações. Sua ativação é associada à hipertrofia muscular, portanto vai além de estimular a criação de novos tecidos musculares, também eleva a produção proteínas musculares em curto prazo. Os estudos encontrados apontaram que ao adicionar os suplementos BCAA e Leucina na dieta de praticantes de exercício de força, quando aliado ao consumo de proteínas e carboidratos, podemos ter efeito positivo na síntese proteica muscular, por evitar efeitos catabólicos.

 

https://repositorio.uniceub.br/jspui/bitstream/235/7169/1/21115580.PDF

Escrito pelos estagiarios : Erick Henare e Elis de Oliveira 

 

 

 

quarta-feira, 10 de maio de 2023

Complexo B e Pratica de exercícios

 


Vitaminas que não podem faltar no corpo humano pois esta ligada com os benefícios das atividades físicas, São importantes fontes de Energia e ainda melhora a resposta imunológica do organismo. O complexo B ou vitamina B exerce uma grande função em nosso corpo, ainda mais quando o assunto é a prática de exercícios.

complexo B é composto por um conjunto de oito vitaminas: vitamina B1 (tiamina), vitamina B2 (riboflavina), vitamina B3 (niacina), vitamina B5 (ácido pantotênico), vitamina B6 (piridoxina), vitamina B7 (biotina), vitamina B9 (ácido fólico) e vitamina B12 (cobalamina).

Todas as vitaminas possuem diferentes funções no organismo, e a sua combinação pode garantir resultados positivos na proteção dele, principalmente no metabolismo celular e na obtenção de energia.

Alguns alimentos, por exemplo, apresentam mais de um tipo de vitamina B, como no caso do arroz, com vitaminas B1, B3 e B6; da lentilha, com vitaminas B1, B2, B3, B5, B6 e B9; e da soja, com vitaminas B1, B2, B3 e B6.

O complexo B reúne vitaminas que são indispensáveis para qualquer pessoa. Ele é responsável por transformar o alimento em energia. Esse nutriente também age no auxílio da defesa do organismo. Além disso, ele ajuda no funcionamento do sistema nervoso, garantido um melhor desenvolvimento para as funções do coração, dos olhos e da pele. Para aqueles que possuem a atividade física presente na rotina, o complexo B trabalha no combate aos radicais livres.

complexo B age de maneira nutritiva e saudável, devido às diversas propriedades presentes em cada uma das vitaminas. De maneira geral, pode contribuir para a melhora do sistema imunológico, com a defesa do organismo e a prevenção de doenças congênitas e crônicas, como cardiovasculares.

Além disso, a sua participação nos sistemas enzimáticos do metabolismo celular e energético das proteínas, carboidratos e lipídios pode combater os danos causados pelo exercício físico.

O complexo B é um dos suplementos seguros que podem ser consumidos por qualquer pessoa que necessite repor os nutrientes presentes nas vitaminas, desde que não haja restrição alimentar a algum componente do produto.

Atletas, praticantes de atividades físicas, gestantes, idosos e pacientes em estado pós-operatório, são grupos que podem carecer da ingestão do suplemento por meio da recomendação de um(a) nutricionista.

O que muitos procuram saber é de que forma o complexo B pode ajudar na hipertrofia. Algumas vitaminas presentes nesse nutriente, como B3, B6 e vitamina B12, ajudam na digestão de carboidratos, gorduras e principalmente de proteínas. Para uma melhor construção de massa muscular, a absorção da proteína é muito importante.

Como o complexo B transforma os alimentos em energia, ele ajuda muito na hora do treino. Com mais energia e mais nutrientes, o seu rendimento melhora. Além do que, ele auxilia na digestão, trabalhando na manutenção do apetite e na transmissão de impulsos nervosos.

 referências: https://www.gsuplementos.com.br/conteudo/como-tomar/complexo-b/#:~:text=Como%20o%20complexo%20B%20transforma,na%20transmiss%C3%A3o%20de%20impulsos%20nervosos.

Escrito por Estagiárias: Livia Furtado e Juliana Correia.


terça-feira, 9 de maio de 2023

Calorias gastas em determinados esportes

 


Um elemento chave para o equilíbrio é consumir e gastar calorias, porém é variável de pessoa para pessoa, que deveremos levar em conta, como por exemplo, o metabolismo, sua estatura, peso e intensidade quando faz algum exercício físico.

Há estudos que que apontam quais os exércitos que deve se concentrar para gastar mais energia.
Alguns dos esportes que tem maior efeito em um período de tempo determinado são:
-Corrida:
Mais de 1000 calorias em 60 minutos, porém varia muito da intensidade da corrida, em ritmo normal permite gastar entre 800 a mais de 1000 calorias.
Esse esporte é recomendado para melhorar a capacidade cardio vascular, trabalhar glúteos, coxas e panturrilhas.
Porém precisa de cuidados com as articulações dos joelhos e tornozelos por se tratar de uma atividade de alto impacto.
-Remo:
1000 calorias em 60 minutos aproximadamente.
O movimento constante de remar faz o corpo eliminar muitas calorias.
Com uma média de 1000 calorias gastas por hora, o remo é o esporte que permite eliminar o maior número de calorias de forma mais rápida.
A isso, se unem outros benefícios, como fortalecer os músculos das costas, ombros, biceps e abdômen.
-Ciclismo:
Entre 500 e 1000 calorias em 60 minutos.
A uma velocidade moderada, igual ou menor que 20 km/h, queima-se cerca de 500 calorias.
A grande margem se deve ao fato do ciclismo ser um esporte em que o nível de esforço físico varia bastante de acordo com a intensidade da pedalada e outras variáveis do trajeto percorrido
A uma velocidade moderada, igual ou menor que 20 km/h, queima-se cerca de 500 calorias. Mas, a 25 km/h, é possível quase dobrar os benefícios.
-Squash
900 calorias em 60 minutos.
A velocidade e a intensidade do squash demandam um grande esforço físico
Acelerações rápidas, mudanças de ritmo e intensidade máxima.
Uma partida de squash permite melhorar a forca física e a resistência cardiovascular.
Requer coordenação, equilíbrio, agilidade e concentração, além de trabalhar os músculos inferiores e superiores ao mesmo tempo, ainda que exija bastante das pernas e articulações dos joelhos e tornozelos.
-Boxe:
700 calorias em 60 minutos
No boxe, é preciso se movimentar o tempo todo.
Não só permite gastar calorias, mas também é uma forma de liberar a tensão
Outro aspecto positivo do boxe é que exige movimento constante seja com pequenos saltos, passos laterais, mantendo o corpo em balanço ou estender os punhos para golpear, o que trabalha uma grande variedade de músculos
Em uma hora, queima-se mais de 700 calorias. Se você não gostar de contato físico, é possível lutar contra um saco de areia e gastar
400 calorias.
Segundo o Centro de Prevenção de Enfermidades dos Estados Unidos, esse esporte tem a melhor combinação de exercícios físicos para quem busca reduzir o risco de desenvolver obesidade, problemas cardíacos, diabetes, osteoporose e câncer.

referências:https://www.anad.org.br/os-5-esportes-que-podem-te-fazer-queimar-mais-calorias/

Escrito por estagiárias : Livia Furtado e Juliana Correia.