quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

GLUTAMINA - Sua suplementação é necessária?


A glutamina é a proteína mais abundante presente no sangue, classificada como aminoácido condicionalmente indispensável, tem diversas funções que contribuem para garantir o equilíbrio do corpo. Com grande ação no sistema imune, onde as células utilizam a glutamina como substrato energético.


GLUTAMINA E SUA RELAÇÃO COM ATIVIDADE FÍSICA


Durante exercício intenso e prolongado, ocorrem aumento dos níveis de glutamina, porém no decorrer do exercício, sua concentração diminui. A baixa nos níveis de glutamina ocorre pela utilização do fígado e rins, que usam a proteína remanescente para processos fisiológicos. O treinamento intenso e excessivo (overtrainning) pode causar baixas significativas no sistema imunológico, devido aos baixos níveis de glutamina.
Estudos indicam que o overtrainning associado a maus hábitos alimentares, abaixam os níveis de glutamina no organismo, elevando as chances do sistema imune ficar vulnerável.



GLUTAMINA E DIETA


Estudos apontam que uma dieta com excesso de proteínas é tão prejudicial quanto uma dieta com a falta do macronutriente. Quando há alta de ingestão de proteínas e baixa de carboidratos, ocorre um fenômeno chamado acidose metabólica, onde o pH organismo passa de alcalino para ácido; para estabilizar o pH, os rins captam a glutamina disponível nos músculos e sangue. Outro fator para a diminuição da glutamina ocorre quando há baixa ingestão de carboidratos, onde o fígado é responsável por captar a glutamina disponível e convertê-la em carboidratos. De acordo com esses estudos, ocorre diminuição de aproximadamente 25% da glutamina disponível no organismo.
A ingestão outras proteínas como isoleucina, leucina e valina, presentes no BCAA e Whey Protein, são percursores naturais da glutamina, ou seja, com seu consumo o organismo será capaz de sintetizar a glutamina muscular.
É importante manter uma dieta balanceada, tanto em proteínas, quanto em carboidratos e em micronutrientes. A suplementação de glutamina é interessante em casos onde há sistema imunológico debilitado.



Referencias bibliográficas:
MEIRA, M. C. C.; CHAGAS, R.; FERREIRA , S. R. GLUTAMINA E ATIVIDADE FÍSICA. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo v. 1, n. 5, p. 28-38, 2007.

NOVELLI, M.; STRUFALDI, M.B.; ROGERO, MM.; ROSSI, L. Suplementação de Glutamina Aplicada à Atividade Física. R. bras. Ci e Mov. 2007; 15(1): 109-117.

Escrito por: Estagiárias Bianca Araujo e Vitória D' Assumpção.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Receita: Coxinha de Tapioca - Pré-treino



Ingredientes


  • 2 xícaras (chá) de tapioca granulada;
  • 3 xícaras (chá) de leite fervente;
  • 1 ovo batido;
  • 1 xícara (chá) de queijo parmesão ralado;
  • Sal a gosto;
  • Amido de milho para polvilhar;
  • Papel manteiga para a forma.


Recheio


  • 2 colheres (sopa) de óleo;
  • 1 cebola picada;
  • 3 xícaras (chá) de frango cozido e desfiado;
  • 1 tomate picado;
  • 1/2 xícara (chá) de cheiro verde picado;
  • Sal, pimenta do reino a gosto;


Modo de Preparo


1) Para o recheio, aqueça uma panela com o óleo em fogo médio e frite a cebola por 3 minutos. Adicione o frango, o tomate, o cheiro verde e refogue por 3 minutos. Tempere com sal, pimenta e desligue o fogo.
2) Em uma tigela, misture a tapioca com metade do leite. Misture, deixe amornar e junte o ovo, o queijo e sal e deixe descansar por 30 minutos. Junte o leite restante e misture bem até incorporar. Deixe descansar por mais 30 minutos;
3) Coloque a massa em uma superfície polvilhada com bastante amido de milho e sove delicadamente, polvilhando mais amido de milho, se necessário;
4) Abra pequenas porções de massa na palma da mão e recheie com uma porção do frango, modelando as coxinhas;
5) Coloque em uma fôrma com o papel manteiga, uma ao lado da outra, e leve ao forno médio, preaquecido, por 25 minutos ou até dourar levemente. Retire e sirva em seguida.


Também é possível fazer a versão vegetariana, substituindo o recheio por brócolis e champignon.



Escrito por: Estagiárias Bianca Araujo e Vitória D' Assumpção.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Conheça mais sobre a Celulite

A lipodistrofia ginóide é considerada uma condição de saúde, que na maioria das vezes acomete mulheres, caracterizada por um aspecto de casca de laranja geralmente na região pélvica (região glútea, quadris e flancos). O motivo do surgimento da celulite ainda não é completamente esclarecido, estudos apontam possível alteração do sistema linfático, onde ocorre acúmulo de substâncias no tecido adiposo logo abaixo da pele. Diversos fatores estão associados à causa da celulite, não somente o sobrepeso ou obesidade, mas também fatores hormonais, alimentação inadequada, sedentarismo e genética são pontos importantes para o desenvolvimento da celulite.


Mecanismo da Condição

  • O tecido Adiposo superficial é composto pela Epiderme (pele), derme (logo abaixo da pele) e hipoderme (camada subcutânea de gordura).
  • Na hipoderme, estão os adipócitos (células que armazenam a gordura).
  • Quando ocorre maior acúmulo de gordura, os adipócitos aumentam em tamanho e quantidade, comprimindo os vasos sanguíneos, prejudicando a circulação e fazendo com que as fibras de colágeno e percam sua elasticidade;
  • Após esse processo, a pele fica com aspecto de casca de laranja.



Graus da Celulite

A celulite é classificada em quatros tipos: 
  1. Sem alterações visíveis;
  2. Mudanças visíveis na pele quando pinçada ou com contração muscular;
  3. Mudanças visíveis sem precisar mexer na pele;
  4. Mudanças visíveis associadas com nodulações.

Tratamento através da Alimentação

Assim como a maioria dos problemas relacionados a ganho de peso e retenção líquida, o tratamento indicado é a alimentação adequada. Para a celulite, é interessante seguir alguns passos um pouco mais específicos, visando à melhora na circulação e diminuição do tecido adiposo subcutâneo:
  • Melhora dos Carboidratos: Substituir Carboidratos simples por complexos, ou seja, consumir mais alimentos integrais, diminuindo os refinados;
  • Redução da Ingestão de Gordura: Diminuir alimentos ultraprocessados, o que diminuirá o consumo de gorduras saturadas e gordura trans.
  • Dieta rica em fibras: melhora do fluxo intestinal e resistência insulínica, além de melhorar o sistema circulatório;
  • Redução de bebidas gaseificadas: conforme estudos, bebidas gaseificadas alteram o pH da derme, causando endurecimento das fibras de colágeno, aumentando os sinais da celulite.
  • Beber bastante água: melhora na circulação sanguínea;
  • Diminuir o sal nos alimentos: o sódio favorece a retenção de líquidos.



Estudos também apontam o uso da fitoterapia no tratamento da celulite, o extrato da semente de uva (vitis vinífera) é um potente oxidante, que promove a vasodilatação, o que causa melhora na circulação, também estabiliza as fibras de colágeno.
Outro importante fitoterápico para o tratamento da celulite é a Cavalinha, rica em silício, protege as fibras de colágeno, diminuindo sua degradação, além de melhorar a permeabilidade dos capilares venosos e linfáticos.

Referências bibliográficas:

David, R. B.; Paula, R. F.; Schneider, A. P.; Lipodistrofia ginoide: conceito, etiopatogenia e manejo nutricional. Rev Bras Nutr Clin, Porto Alegre, 2011; 26 (3): 202-6.
GERALDO, A. N. M.; FREITAS, L. M.; BUFFO, L. J. Perfil Alimentar de Mulheres Segundo o Grau de Lipodistrofia Ginóide. 2015. 47f. Trabalho de Graduação (Graduação em Nutrição) – Faculdade de Americana, Americana – SP, 2015.

Escrito por: Estagiárias Bianca Araujo e Vitória D' Assumpção.

sábado, 15 de fevereiro de 2020

Receita: Bolo de chocolate com biomassa de banana verde

A Biomassa de banana verde nunca é o ingrediente principal, mas um coadjuvante essencial, que acrescenta quantidades significativas de fibras, vitaminas e minerais.  A maior parte de sua composição é de Amido Resistente que é uma forma de carboidrato com grandes quantidades de fibra e baixo índice glicêmico, gerando uma resposta insulínica menor, o que auxilia no tratamento de diabetes tipo II. O amido não é absorvido no intestino delgado, porém é fermentado no intestino grosso, o que aumenta a produção de ácidos graxos de cadeia curta, que auxiliam na prevenção de doenças inflamatórias do intestino. 

Também acontece a melhora da motilidade intestinal e o aumento do bolo fecal, o que afeta o colón e sua microflora positivamente, até com chances de prevenir o câncer de colón.


Ingredientes

  • 3 ovos;
  • 1/4 xícara de biomassa de banana verde;
  • 3 colheres de sopa de manteiga;
  • 1/2 xícara de açúcar mascavo;
  • 1 xícara de farinha de grão de bico;
  • 1 xícara de farinha de castanha de caju;
  • 2 colheres de sopa de cacau em pó;
  • 1/2 xícara de leite;
  • 1 colher de sopa de fermento.


Modo de preparo

  1. No liquidificador, bata os ovos, manteiga e biomassa até ficar bem cremoso.
  2. Adicione os outros ingredientes, menos o fermento e bata de novo.
  3. Por fim, acrescente o fermento apenas misturando.
  4. Despeje em forma untada e asse em forno pré-aquecido a 180º por uns 30-40 minutos.



LEON, T. M. ELABORAÇÃO E ACEITABILIDADE DE RECEITAS COM BIOMASSA DE BANANA VERDE. 2010. 55f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Nutrição) – UNESC. Criciúma, 2010.


GOMES, T. S. V.; GOMES, R. N. S.; GOMES, M. S.; VIANA, L. V. M. V.; CONEIÇÃO, F. R.; AMORIM, L. M. M.; SOARES, E. L. BENEFÍCIOS DA BIOMASSA DE BANANA VERDE À SAÚDE HUMANA. 2016. 5f. XX Encontro Latino Americano de Iniciação Científica, XVI Encontro Latino Americano de Pós-Graduação e VI Encontro de Iniciação à Docência – Universidade do Vale do Paraíba. 2016.


Escrito por: Estagiárias Bianca Araujo e Vitória D' Assumpção.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Receita: Hambúrguer de Frango com Batata Doce



Ingredientes

- 2 batatas doces
- 500g de peito de frango moído
- 1/2 colher de chá de alho em pó
- Gengibre moído ( a gosto)
- Sal (a gosto)
- Pimenta do reino (a gosto)
- Orégano (a gosto)
- 1 colher de sopa de azeite

Modo de preparo:

1- Descascar a batata-doce e cozinhar no microondas por cerca de 6 minutos.
2- Misturar a batata doce amassada e o frango moído juntamente com todos os temperos.
3- Modelar os hambúrgueres.
4- Aquecer uma frigideira grande em fogo médio-alto, com uma colher de sopa de azeite, apenas para untar.
5- Grelhar os hambúrgueres por cerca de 3 a 4 minutos de cada lado, até dourar e cozinhar por inteiro.
6- Sirva quente.
 Ótima opção tanto de pré quanto de pós treino, pratica e rápida de ser preparada, podendo ser acompanhada de saladas ou até os ingredientes comuns de um lanche.
Escrito por: Estagiárias Bianca Araujo e Vitória D' Assumpção. 

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Acne e sua relação com a Alimentação


A acne é uma doença de pele, resultado de inflamação com acúmulo de secreção das glândulas sebáceas, principalmente na face. Os tipos mais comuns de acne são:
  • Acne comedoniana: Quando o poro se dilata passa a comedão aberto, primeiro sinal da acne, conhecido popularmente como “cravos”;
  • Acne pápulo-pustulosa: Quando o comedão apresenta vermelhidão no local, estágio antes da inflamação por bactérias;
  • Pústula: Quando há infecção bacteriana e o local apresenta secreção purulenta (pus).

A acne é uma doença inflamatória crônica, que acomete de 35 a 90% dos adolescentes. Segundo artigos, identificamos que a acne no esportista tem mais ocorrência quando acontece o uso de esteroides. Mulheres normalmente por questões hormonais já tem decorrência maior de casos de acne, mas não necessariamente ligadas ao esporte.


Fatores Determinantes Para o Aparecimento da Acne


Diversos artigos apontam a relação entre carboidratos de alto índice glicêmico, leite e derivados e gordura, com a acne.
  • Carboidratos de alto índice glicêmico: é responsável por alterar a composição e quantidade de sebo, o que potencializa a inflamação e a formação da acne. Dentre os alimentos com alto índice glicêmico, podemos citar chocolates, farinhas simples e açúcar refinado.
  • Leite e derivados: Estudos apontam que a proteína IGF-1, está associada ao aparecimento da acne. A IGF-1 é produzida pelo organismo e o leite também conta com essa proteína, dessa forma, o organismo fica com níveis elevados da proteína em questão, o que causa o aumento da acne. Pois a IGF-1 é um estimulador de hormônios que estimulam a produção sebácea.
  • Gordura: a gordura presente em alimentos como fast-foods, frituras e alimentos ultraprocessados contribuem para o aparecimento da acne, uma vez que há interação com a proteína mTORC1. Essa proteína responde ao tipo de ácido graxo consumido.
Outro fator importante para o aparecimento da acne é a resistência à insulina (RI), a RI está associada a pacientes diabéticos (tipo II), elevada ingestão de carboidratos com alto índice glicêmico e mulheres com quadro de síndrome ovário policístico (SOP).

 A RI aumentada em mulheres com SOP eleva também a produção do IGF-1 no organismo, com isso, o IGF-1 impede a conversão de testosterona em estrógeno, aumentando os níveis de hormônios andrógenos, que também estimulam a produção sebácea. 

Estudos associam o uso de suplementos alimentares ricos em aminoácidos com o aparecimento da acne, por exemplo, o Whey Protein, que utiliza proteína derivada do soro de leite, mostrou-se que a leucina e iso-leucina também são capazes de estimular produção   sebácea.




Terapia Nutricional


A terapia nutricional indicada para acne é uma dieta com baixo índice glicêmico, rica em alimentos in natura, como frutas, legumes e verduras e com o mínimo possível de ultraprocessados. O Brasil conta com o Guia Alimentar Brasileiro, com diretrizes para uma melhor qualidade de vida.
São indicados também, alimentos ricos em Ômega 3, Vitamina A e Zinco.
  • Ômega 3: funciona como um anti-inflamatório, é um ácido graxo essencial, ou seja, não é produzido pelo organismo, portanto, pode ser suplementado ou encontrado nos alimentos como peixes, crustáceos e como castanhas e nozes.
  • Vitamina A: é um dos principais meios de tratamento para a acne, pois possui ação que inibe o desenvolvimento das lesões por acne em vários estágios. Também uma vitamina com ação antioxidante. Pode ser suplementada, mas é encontrada principalmente em alimentos alaranjados e amarelos, como cenoura, abóbora e salmão.
  • Zinco: esse mineral é muito importante para o sistema imunológico, onde tem funções como estimular os glóbulos brancos e diminuir o processo inflamatório em lesões, como a acne. O zinco é encontrado em alimentos como ostras, gema de ovo, amendoim e castanha de caju.

E o chocolate, é um vilão? A resposta dependerá do chocolate consumido. O chocolate em si não é um vilão, pois é rico em antioxidantes, porém, chocolates ricos em açúcar possuem alto índice glicêmico, conforme já informado. Uma boa alternativa para os chocólatras é investir em chocolates com pelo menos 70% de cacau, que não possuem leite em sua formulação, preservando suas ações antioxidantes.




Referências Bibliográficas:

ANSELMINI, A. M. RELAÇÃO ENTRE DIETA ALIMENTAR E ACNE VULGAR NA ADOLESCÊNCIA. 2017. 13f. Trabalho de Pós-Graduação (Pós Graduação em Nutrição Clínica) – Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, URI, Erechim, 2017.
SILVA, J. P. O. P. INFLUÊNCIA DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E DA DIETA NA FISIOPATOLOGIA DA ACNE VULGARIS. 2017. 27f. Dissertação - Revisão Bibliográfica (Mestrado Integrado de Medicina), Universidade do Porto, Portugal, 2017.
COSTA, A. MOISES, T. A. LAGE, D. Acne e dieta: verdade ou mito?* An. Bras. Dermatol. Brasil, 2010; 85(3): 346-53.
BRASIL. Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 158p.

Escrito por: Estagiárias Bianca Araujo e Vitória D' Assumpção.  

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

Autismo e Nutrição - Conceitos e Características


Conceito


O autismo é um Transtorno invasivo de desenvolvimento, onde acontecem mudanças na comunicação, na interação social e no comportamento. Essas mudanças levam a dificuldades de adaptação, e normalmente aparecem aos 3 anos de idade e em casos isolados pode até ser descoberto nos primeiros meses de vida. Sua causa ainda não é esclarecida. As manifestações comportamentais são diferentes e há diversos graus do espectro. Pode ocorrer uma série de transtornos gastrointestinais, como por exemplo, baixa produção de enzimas digestivas, inflamações da parede intestinal.



Comportamento Alimentar


Três aspectos são características de o comportamento alimentar de pessoas com Autismo:
1 – Seletividade: que diminui a variedade de alimentos, podendo levar a carências nutricionais, portanto, é importante ter cuidado ao apresentar alimentos não saudáveis;
2 – Recusa: mesmo ocorrendo a seletividade é frequente a não aceitação do alimento selecionado o que pode levar a um quadro de desnutrição calórico-proteica;
3 – Indisciplina: também contribui para a inadequação alimentar. As crianças autistas apresentam, com frequência, sintomas gastrointestinais tais como, dor abdominal, diarreia crônica, flatulência, vômitos, regurgitação, perda de peso, intolerância aos alimentos, irritabilidade, disenteria entre outros.



Terapia Nutricional


Para a terapia nutricional, é indicado restringir alergênicos, leite (caseína) e glúten. Para manter a evacuação normal, equilibrar o consumo de água e fibras de forma adequada. Acrescentar probióticos e prebióticos na dieta, para auxilio na regulação intestinal, adicionar chás como alecrim, sálvia, cidreira, canela, erva-doce ou hortelã para auxiliar na digestibilidade. Oferecer antioxidantes e anti-inflamatórios, gorduras monoinsaturadas e ômega 3 para reparo da mucosa intestinal. E acrescentar fitoterápicos para diminuir espasmos no estomago e intestino de como lavanda, hortelã pimenta, camomila e ginseng.



Referência Bibliográfica:
CARVALHO, J. A.; SANTOS, C. S. S., CARVALHO, M. P.; DE SOUZA, L. S. NUTRIÇÃO E AUTISMO: CONSIDERAÇÕES SOBRE A ALIMENTAÇÃO DO AUTISTA, Revista Científica do ITPAC, Araguaína, v.5, n.1, Pub.1, Janeiro 2012.
MARQUES, H. B. Proposição de Guia Alimentar Funcional para Crianças com Espectro Autista, Revista Brasileira de Nutrição Funcional - ano 13, nº56, 2013.

Escrito por: Estagiárias Bianca Araujo e Vitória D' Assumpção. 

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

Tríade da Mulher Atleta - Você conhece a Síndrome?


A tríade da mulher atleta são sintomas que acometem adolescentes e mulheres jovens.  É caracterizada pelos sintomas de distúrbios alimentares, osteoporose e amenorreia (ausência de três ou mais ciclos menstruais consecutivos).



Grande parte das atletas que apresentam os sintomas são de esportes onde há maior exigência de um padrão corporal estético, o que pode gerar distorção de imagem e distúrbios alimentares como a anorexia e bulimia. 

A anorexia é caracterizada pelo indivíduo se ver acima do peso e se manter em restrição alimentar extrema; já a bulimia, é caracterizada pelo o ciclo empanturrar-purgar, onde o individuo se alimenta excessivamente devido a fome fisiológica e usa meios purgativos, como a indução do vômito. Os dois transtornos são acompanhados por problemas psicológicos agudos e crônicos.

A amenorreia que também pode ser um sintoma dos distúrbios alimentares, é a ausência da menstruação, principalmente associada à alta intensidade de treino, e baixa gordura corporal.



A osteoporose em mulheres com o diagnóstico é causada principalmente pela baixa concentração de hormônios ovarianos, semelhante a mulheres com pós-menopausa, relacionados à diminuição do estrógeno. A baixa ingestão de cálcio também é um fator determinante para a osteoporose. Estudos apontam a maior incidência de fraturas e lesões por estresse, além do maior risco para fraturas importantes.


Portanto, é importante estar atenta aos sintomas, fazer acompanhamento médico, nutricional e psicológico, visando prevenir, reconhecer e tratar a síndrome.


Referência: OTIS L., C.; DRINKWATER, B.; JOHNSON, M; LOUCKS, A; WILMORE, J. A tríade da atleta. Revista Brasileira Medicina do Esporte. Brasil, Vol. 5, Nº 4, 150-158, 1999.

Escrito por: Estagiárias Bianca Araujo e Vitória D'Assumpção. 


sexta-feira, 29 de novembro de 2019


MICRONUTRIENTES


Nutrientes:  componentes dos alimentares que têm funções específicas e são fundamentais para o bom funcionamento do organismo e manutenção da saúde.

Micronutrientes: São vitaminas e minerais, essenciais,  que o organismo precisa em menores quantidades se comparado aos Macronutrientes,  mas devem estar diariamente presentes na alimentação.

Vitaminas e Minerais


Não geram energia e são compostos que ocorrem em quantidades pequenas nos alimentos. Porém são de extrema importância para o organismo, pois têm funções específicas e vitais nas células e nos tecidos do corpo humano. Ajudam a regular enzimas e hormônios, contração muscular, ritmo cardíaco e funcionamento do cérebro.
Alguns exemplos: vitamina A, vitamina C, cálcio, ferro e iodo.


Alimentos Fonte:

1. Frutas, hortaliças e legumes;

 2. Leite e derivados, carnes, castanhas e nozes;

 3. Cereais integrais (ex.: milho, aveia, alimentos com farinha integral).






Referências utilizadas: Manual de Nutrição pessoa com diabetes. Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD. Disponível em: < https://www.diabetes.org.br/publico/pdf/manual-nutricao-publico.pdf>

Estagiária Tatiane Pierri Barbosa


MACRONUTRIENTES.

VOCÊ SABE O QUE SÃO?

fonte*



Nutrientes são os componentes dos alimentos que têm funções específicas e são fundamentais para o bom funcionamento do organismo e manutenção da saúde.

Macronutrientes são nutrientes que o nosso corpo necessita em maiores quantidades e são eles:

Carboidratos:


Os carboidratos fornecem a maior parte da energia necessária para a pessoa realizar sus tarefas diárias. Quando essa energia não é utilizada, ela acaba sendo armazenada no organismo em forma de gordura.
 
A ingestão recomendada de carboidratos é de 50% a 60% do valor calórico total consumido diariamente pela pessoa. Os carboidratos, quando trabalhados no organismo, são convertidos em glicose e é esta glicose a fonte principal de energia para as diferentes células que compõem o nosso corpo. 

Cada grama de carboidrato fornece 4 kcal ao nosso corpo.

Exemplos de fontes: 
  • Açúcar de mesa, mel, garapa, rapadura, balas, muitos chicletes, doces em geral, refrigerantes; Cereais e derivados, como arroz, trigo, centeio, cevada, milho, aveia, farinhas (de trigo, de milho, de mandioca), massas, pães, biscoitos, macarrão, polenta, pipoca,tapioca, cuscuz;
  • Frutas: Maçã, banana, morango, ameixa, mamão, figo, etc;
  • Alimentos integrais: arroz integral, arroz com grãos, macarrão integral, pão integral ou pão com sementes;
  • Vegetais: beterraba, couve, brócolis, couve-flor;
  • Grãos: feijão, lentilha, grão de bico;
  • Tubérculos: batata doce com casca, batata, mandioca, inhame. 

Proteínas:


As proteínas são indispensáveis ao corpo humano, pois, além de contribuírem como fonte calórica, são fornecedoras dos aminoácidos, que servem de material construtor e renovador, isto é, são responsáveis pelo crescimento e pela manutenção do organismo.

  • Suas fontes mais ricas são as carnes de todos os tipos, os ovos, o leite e o queijo, enquanto as leguminosas são as melhores fontes de proteína vegetal. 
Cada grama de proteína fornece 4 Kcal ao nosso corpo. 

Lipídeos:

Fonte: depositphotos*


As gorduras ou lipídios são componentes alimentares que fornecem taxas maiores de energia.

Cada grama de lipídeo fornece 9 kcal ao nosso corpo.

Têm funções fundamentais para a saúde:
  • São importantes condutoras de vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K);
  • Possuem ácido graxos essenciais para a produção de substâncias com hormônios e outros, e, como o nosso organismo não os produz, devemos ingeri-los moderadamente, preferencialmente obtidos dos alimentos vegetais (exemplos: óleos).

A qualidade da gordura consumida é fundamental.

Gorduras saturadas, encontradas principalmente em alimentos de origem animal, devem ser consumidas com moderação, pois podem causar elevação dos níveis de glicemia, colesterol e triglicérides. 

Já as gorduras monoinsaturadas, encontradas no azeite de oliva, óleos de canola, girassol ou amendoim, e as gorduras poliinsaturadas, encontradas em peixes, semente de linhaça e óleo de soja, são importantes componentes alimentares que podem auxiliar na manutenção de um bom perfil das gorduras sanguíneas (colesterol e triglicerídeos).


Referencial utilizado:
Manual de nutrição pessoa com diabetes. Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD. Disponivel em: https://www.diabetes.org.br/publico/pdf/manual-nutricao-publico.pdf

Postado por estagiária Ivinis Audry Missiato Costa. 

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

HIPOTIREOIDISMO E HIPERTIREOIDISMO.

São disfunções na glândula tireoide que causam diversas alterações no organismo.

fonte img *

A tireoide é uma glândula endócrina localizada na porção anterior do pescoço, logo abaixo do conhecido "gogó". 

Estimulada pelo TSH, hormônio produzido no cérebro, ela produz outros dois hormônios, o T4 (tiroxina) e o T3 (triiodotironina) que estimulam o organismo, garantindo um conjunto de reações necessárias para processos bioquímicos

HIPOTIREOIDISMO 

É um estado clinico caracterizado por quantidade insuficiente ou ausência dos hormônios T4 e T3 circulantes para cumprir funções orgânicas normais. Desacelera o metabolismo.  
Pode ser provocado  pelo funcionamento inadequado na tireoide ou estimulo inadequado de TSH vindo do cérebro. 

Sintomas: 
  • Aumento de peso constante associada com falta de apetite;
  • Cansaço;
  • Depressão;
  • Pele seca e fria;
  • Prisão de ventre;
  • Diminuição da frequência cardíaca;
  • Decréscimo da atividade cerebral;
  • Voz mais grossa como a de um disco em baixa rotação;
  • Sonolência;
  • Reflexos mais vagarosos;
  • Intolerância ao frio;
  • Alterações menstruais e na potência e libido dos homens.


HIPERTIREOIDISMO

É um estado hipermetabólico causado pelo aumento na função da glândula tireoide e, consequentemente, aumento dos níveis circulantes dos hormônios T3 e T4 livres.
As causas mais comuns são hiperplasia difusa da tireoide associada à doença de Graves, bócio multinodular hiperfuncionante e adenoma hiperfuncionante da tireoide (BARROSO et al., 2012)

Sintomas:

  • Hiperativação do metabolismo;
  • Nervosismo e irritação;
  • Insônia;
  • Aumento da frequência cardíaca;
  • Intolerância ao calor;
  • Sudorese abundante;
  • Taquicardia;
  • Perda de peso resultante da queima de músculos e proteínas;
  • Tremores;
  • Olhos saltados;
  • Bócio;
  • Comprometimento da capacidade de tomar decisões equilibradas.
fonte img*


Diagnóstico:

O diagnóstico é feito pela dosagem do hormônio TSH produzido pela hipófise e dos hormônios T3 e T4 produzidos pela tireoide.
  • Níveis elevados de TSH e baixos dos hormônios da tireoide caracterizam o hipotireoidismo.
  • Níveis baixos de TSH e alta dosagem de hormônios da tireoide caracterizam o hipertireoidismo

Dieta
A dieta deve ser individualizada e dependente de cada caso. A recomendação é que procure um nutricionista para acompanhamento nutricional adequado. 



Referencial utilizado:
Hipotiroidismo e Hipertireoidismo. Disponível em: http://www.cidmed.com.br/pdf/endocrino02.pdf

Hipotireoidismo ou Hipertireoidismo? Veja sintomas, tratamentos e como prevenir. Disponivel em: https://www.unimedfortaleza.com.br/blog/cuidar-de-voce/hipotireoidismo-ou-hipertireoidismo


Postado por estagiária Ivinis Audry Missiato Costa.